Quarta exposição coletiva Agararte

Impulso Exposição Colectiva

Impulso é a quarta exposição que faz parte do projecto Espaço Aberto Colectivo criado pela AgarArte Cooperativa Criativa, que aspira realizar uma exposição colectiva a cada sessenta dias para promover artistas plásticos e dar espaço à criatividade. O projecto quer envolver artistas da própria casa e do bairro, bem como da Europa e do resto do mundo. O que importa é a maneira de comunicar de cada um com os próprios meios artísticos.

Assim sendo, a AgarArte apresenta Impulso, a exposição que tenciona mostrar a Arte como expressão impulsiva, espontânea, pessoal e extremamente autoral. Uma maneira de se expressar que salienta os sinais e os gestos, factores que dão ao artista a possibilidade de libertar emoções enquanto executam a obra de arte. Este tipo de arte plástica leva em conta não só o resultado mas também a sua execução. As vezes, sem qualquer controle estético, os artistas transmitem os próprios sentimentos, utilizando materiais tradicionais e técnicas inéditas.

Arte como meio para transmitir as marcas que os nossos participantes levam no interior.Obras de arte que nascem como uma explosão visceral que apresenta o ser de cada um. Representações caóticas que misturam cores, formas e imagens. Arte inconsciente e viva que reflecte estados mentais.

Os signos são um prolongamento do interior destes artistas que desenvolvem o trabalho criativo empurrados por uma forte motivação intrínseca. Mostram, em maneira enigmática, ao publico o que os artistas sentem no profundo, as próprias peculiaridades mais intensas e intimas.

São artistas que usam a intuição para criar imagens poderosas que tem um forte impacto visual no observador até ficar imprimidas na sua memoria. Estas grandes formas deixam o visitante num estado de contemplação que o leva a descoberta de pormenores escondidos atrás de uma superfície aparentemente menos cuidada. Superfícies que desaparecem a um olhar profundo, símbolos que surgem e comunicam mais do que indicam, sentidos ocultos e desconhecidos que às vezes revelam-se ao público.

A mostra consta duma selecção das aguarelas de Ana Reis, das pinturas abstractas de Nuno Barbosa, das ilustrações de Nicolae Negura e de Binau e das fotografias do projecto Urban Talk.

 
 

 BINAU

binauBinau é um artista português que desenvolve a própria criatividade também através a arte da escrita. Apresenta a sua pessoa e o seu trabalho com um texto que fala de si na primeira pessoa, sobre o seu mundo imaginário.

“Olá, sou o Binau. o meu nome provém de um dialecto que teve origem nas grutas da EuroDisney onde vivem os filhos disformes da pequena sereia com o príncipe Eric (príncipe que “sacou” a pequena sereia). Foi lá que cresci e que aprendi a arte de desenhar o que quer que me viesse à cabeça com a única condição de que tudo o que desenhava se parecesse com uma borbulha escandinava. As minhas referências e influências passam bastante pelo universo animado com que tivemos contacto durante a nossa infância, através da televisão, daí falar na mutante Ariel.”

www.facebook.com/BINAU

ANA REIS

ana reis
Ana Reis é uma pintora autodidacta portuguesa. Desde 1998 pinta aguarelas, com períodos de maior ou menor intensidade criativa. Em 2015 houve um novo despertar para as possibilidades da mancha.

A artista vive a arte por intuição. O que ela pinta é uma transposição dos seus próprios sentimentos no tempo e no espaço. As suas aguarelas exploram as possibilidades da mancha e a liberdade criativa do momento.

http://issuu.com/anareis84/docs/anaportfolio

www.facebook.com/aguarelasar

 NUNO BARBOSA

nunu barbosaNuno Barbosa é um artista autodidacta português. Desde o minimal gráfico branco e preto quase psicadélico até à explosão da mistura cromática e harmoniosa que nos prende os sentidos. Como verdadeiro homem do norte brinda-nos com a sua modéstia e simplicidade o seu talento nato. As manchas realizadas com cores primarias através diferentes técnicas, escondem formas e figuras que deixam liberdade à interpretação.
Esta selecção de trabalhos, mostra o que tem na alma. É uma viagem no interior do artista que comunica com espontaneidade levando o espectator para mundos fantasiosos.

NICOLAE NEGURA

nicolae neguraNicolae Negura é um artista romeno que, desde há alguns anos, decidiu fazer de Lisboa a sua casa e a sua fonte de inspiração.
O seu trabalho é uma combinação de cores fortes e garridas com um traço de tinta ondulado que remete para a banda desenhada vintage. Apresentando uma tendencial estabilização dos elementos referenciais, o seu trabalho fala sobre experiências da vida “vivida”, surpreendendo quer histórias banais arrancadas ao quotidiano, quer o horizonte dos sonhos e da projecção dos mesmos em super-heróis tornados símbolos dos presentes modos de consumismo.
O seu trabalho recente incide sobretudo na expressão mais interior dos sentimentos de felicidade, tristeza, ansiedade ou desilusão.

I Am Not Special
O projecto/exposição “Eu não sou especial” ilustra algumas das obsessões que se colocam a um homem contemporâneo estimulado a marcar permanentemente a sua diferença e a sua singularidade.
Ser especial, o único, o primeiro, mas também o mais feliz e o mais divertido, tornaram-se metas comuns a cada percurso individual, numa oscilação constante entre a expectativa e a frustração.

www.facebook.com/NicolaeNeguraCucubaou/

URBAN TALK

urban talkUrban Talk é um projecto que surgiu da vontade de registar todas as expressões artísticas que vão aparecendo de forma espontânea pelo caminho quotidiano maioritariamente na cidade de Lisboa passando também por outros lugares.

O registo de imagens teve inicio por volta de 2006 e estendeu-se até aos dias de hoje. Através das novas tecnologias tornou-se possível a divulgação de muitos desses trabalhos nas redes sociais com o intuito de criar uma base de dados pública e contribuir no desenvolvimento do estudo das artes urbanas, nas suas áreas mais diversas.

Urban Talk é responsável pela documentação, não pelos trabalhos retratados nas fotos. Estes devemos agradecer aos artistas emergentes que contribuem para uma cidade e uma comunidade melhor, através do seu sentido estético ou crítica social.

www.facebook.com/UrbanTalk/

 
 

Terceira exposição coletiva Agararte

Gente 1200x630

Gente é a terceira exposição que faz parte do projecto Espaço Aberto Colectivo criado pela AgarArte Cooperativa Criativa, que aspira realizar uma exposição colectiva a cada noventa dias para promover artistas e dar espaço à criatividade.
O projecto quer envolver artistas da própria casa e do bairro, bem como da Europa e do resto do mundo. O que importa é a maneira de comunicar de cada um com os próprios meios artísticos.

Assim sendo, a AgarArte apresenta Gente, a exposição que propõe e promove artistas plásticos que expõem a sociedade e a condição humana em diferentes contextos, em varias formas e com diferentes técnicas dasartes visuais.
Desde sempre os artistas tendem a usar a Arte para desenvolver umas temáticas não só sobre a arte, mas também relativas ao sistema de arte e aos sistemas que a sociedade cria no mundo. Eles utilizam a arte com o intuito de evoluir novos estilos e técnicas e de tratar temáticas que envolvem a interioridade humana e a relação com a realidade que está à volta. Através da expressão artística tentam reconstruir a espiritualidade que alimenta a alma, estimula a energia vital e leva à transformação, à evolução e à educação para um pensamento diferente com outra perspectiva.
Pois Gente tem a intenção de juntar artistas que divulgam conhecimentos diferentes que se unem para constituir um espaço de contra‐realidade. Um lugar que inclui evoluções dos pensamentos e sentimentos contrários à realidade da vida quotidiana através de revoluções visionárias.

Esta exposição gere um espaço de troca entre os artistas que estudam a realidade, a sociedade e o Ego, e o público que encontra o próprio processo alquímico através da visão das obras, o próprio pensamento e a própria interpretação.
As obras criadas pelos nossos artistas permitem um intimo diálogo entre Arte e Público para chegar à uma inversão do conceito de arte, que de elitista transforma‐se em democrático, e da comunicação, que de hierárquico torna‐se horizontal.

A mostra inclui as obras de Ana Braga, Sabaprodaktion, Simona Accattatis, Simone Faresin, Sofia Azevedo, Tit Viscek.

Gente ficará patente ao público do dia 20 de Novembro até dia 10 de Janeiro, de Segunda‐feira a Sexta‐feira das 14h00 às 21h00 na AgarArte Cooperativa Criativa(Rua das Gaivotas 17, Lisboa).

 
 

SABAPRODAKTION

SabaprodaktionSabaprodaktion é um artista italiano que participa na exposição com uma seleção dos seus trabalhos do projecto manual de/structure.
Manual de/structure é um projecto que nasceu da colaboração entre SABAPRODAKTION e Hardground Printmakers, Londres.
É uma serie limitada, numerada e carimbada de serigrafias originais, focadas sobre uma tecnica desenvolvida através varias formas do artista: colagens de manuais de instruções do IKEA. O resultado é uma explosão perspectiva de estruturas caóticas e construções impossíveis, que se direcionam para o espaço cosmico, as constelações e as galáxias e também para uma dimensão introspectiva da mente e os mecanismos do pensamento.
A partir da absoluta simplificação/estandardização do “design democratico” as colagens revelam uma complexidade latente, que, liberando as formas/objectos das suas funções meramente utilitárias, provoca uma revolução do pensamento para novas conformações criativas.

sabaprodaktion.blogspot.pt

SIMONE FARESIN

Simone "Fares" Faresin é um artista italiano. Tirou o curso secundário no Liceu Artistico e frequentou a Università dell’Immagine de Fabrizio Ferri em Milão. É membro fundador de uma associação cultural e colabora na produção de vários eventos culturais. Gosta de escrever, fotografar, produzir ideias, observar e descobrir, mas sobretudo adora viver e andar pelas ruas.

Aqui em Lisboa todos os seus interesses cruzam‐se perfeitamente. Agora esta a procura de um publico que quer conhecer as suas historias a as historias que o mundo lhe conta.
Participa com “Um país cortado em fatias”, uma exposição que apresenta um texto e uma composição de fotografias. É uma reflexão que o artista tive durante um passeio pela cidade que tem como alcance a divulgação da noticia “Grand Canal da Nicaragua”, exemplo para denunciar o mau caminho que a humanidade está a apanhar e a necessidade de mudar de direção para nos não encontrar‐nos num mundo envenenado sem saída.

www.simonefaresin.blogspot.pt
www.flickr.com/photos/fotofares/

SOFIA AZEVEDO

Sofia Azevedo é uma artista tradicional e digital auto‐didata de Portugal. Atualmente, trabalha como Webdesigner, mas o desenho, foi desde muito cedo, a sua primeira paixão. Gosta de fazer trabalhos como artista
conceptual, área onde já ganhou o primeiro prémio na categoria de Jogos na competição Microsoft Imagine Cup Portugal.
Possui licenciatura em Design Multimédia e tem desenvolvido os seus trabalhos de modo a criar o seu próprio estilo, associando a beleza dos rostos ao sonho.
É extremamente curiosa, apaixonada pela vida, criatividade e coisas bonitas.

Participa com umaseleção dos seus desenhos.

www.sofiaazevedo.com

 ANABRAGA

Ana Braga é mestre em Arquitectura pelo Instituto Superior Técnico. Em 2011 inicia o curso de Ilustração e Banda Desenhada no Ar.co que termina em 2015. No mesmo ano é bolseira do Ar.co enquanto desenvolve o projecto aplicado em ilustração.

Actualmente desenvolve trabalho em ilustração e gravura. Participa com um projecto que foi desenvolvido em gravura e tem como tema o poema de Margerite Duras “Les Mains Négatives”.

http://ambragailustra.tumblr.com/

 TIK VISCEK

TIK VISCEKTit Viscek nasceu na capital da Eslovénia, Liubliana, em 1981. Em 2007, depois de acabar o mestrado de Economia, em A Corunha, estagiou em Marketing em Lisboa. Em 2008 viajou um ano pela América do Sul onde percebeu a sua
necessidade e paixão em fotografar.
Mudou‐se para Lisboa em 2010 onde comecou a trabalhar como freelancer em fotografia e formou‐se no curso de fotografia na Restart – Instituto de Criatividade, Artese Novas Tecnologias.
A sua grande paixão é fotografia de rua, onde se mistura a adrenalina de capturar um momento único com a interacão de pessoas desconhecidas e panoramas urbanos.

Participa com uma seleção das sua fotografias com
o objectivo de mostrar a sua perspectiva de cidade
maravilhosa e a sua gente em momentos decisivos.
As fotos foram capturadas nos últimos 5 anos,
todas no centro da cidade de Lisboa.

www.titviscek.com

 

 SIMONA ACCATTATIS

Simona Accattatis é uma artista italiana que mora em Lisboa. Participa com uma seleção das suas obras que ilustram caras realizadas com material de
reciclagem.

"Enquanto o pescoço dos outros se dobra sobre o pequeno ecrã ‐ extensão cada vez mais omnipresente de qualquer contacto ‐ para twittar, falar, ver, gostar, opinar eu preciso de ver caras, seguir o contorno de uma ruga, escorregar com as pestanas na pele lisa de uma juventude qualquer. Preciso de ter um rosto para tudo e para todos, uma geografia interna, visceral trocada em miúdos, trocada em sensações, em pele, em bocas, em narizes, dentes, esgares, olhares. Tóquio, Penas, Boy, Robot são parte dos rostos ‐ sempre revisitados ‐ que me (per)seguem no meu caminho artístico ou parte do que eu descortino da realidade através dessa personificação dos tempos que correm até chegar a Crowd, o último trabalho desta série, ou, se calhar, uma tentativa de encontrar uma identidade nesta multidão indistinta e desconhecida com que nos cruzamos cada vez mais mas cada vez menos directamente.
Enfim, trocado em miúdos: cada vez mais caras mas cada vez menos CARA A CARA, essa que já é inventada ou mesmo ausente."

simonaccattatis.blogspot.com/
www.facebook.com/SimonaAccattatisDisegni

 
 

Segunda exposição coletiva Agararte

FRESH EXPO é a segunda exposição que faz parte do projeto Espaço Aberto Colectivo criado pela AgarArte Cooperativa Criativa, que aspira realizar uma exposição colectiva a cada noventa dias para promover artistas e dar espaço à criatividade. O projecto quer envolver artistas da própria casa e do bairro, bem como da Europa e do resto do mundo. O que importa é a maneira de comunicar de cada um com os próprios meios artísticos. Assim sendo, a AgarArte apresenta FRESH EXPO, a exposição colectiva que quer propor e promover artistas “frescos”, portadores de novas ideias.

O que interessa não são só as técnicas, as cores, as mensagens ou as palavras usadas, mas também as emoções, que levam avante a comunicação. O conjunto de tudo isto e muito mais, às vezes chega a despertar o gosto estético, outras vezes mexe emocionalmente com as pessoas, despertando o sentido crítico, a sensibilidade ou um pensamento. É uma pesquisa de originalidade, personalidade, extravagância, carácter, unicidade, mas também denúncia e consciência. Fresh no sentido de originalidade, criatividade e paixão pela expressão artística que leva à novidade.

Os Artistas da FRESH EXPO mantêm o prazer e o amor para aquilo que fazem e a vontade de comunicar pelas Artes: pintura, escultura, fotografia, colagem, ilustração e cerâmica. Estas são apenas a forma e o meio que eles usam para tornar-se testemunhas do próprio tempo, expressão da alma humana afectada pelo contexto social.

A exposição reúne várias técnicas artísticas com o intuito de juntar novas e “frescas” ligações, criar uma fusão original e impulsionar conexões entre os participantes. A mostra inclui as obras de Carla Pessoa, Lorenzo Degl’Innocenti, Manuel Figueiredo, Naohiro “Kozneuf”, Sìlvia Luz e Vanessa Tavares. 

FRESH EXPO ficará patente ao público a partir do dia 26 de Setembro até ao dia 31 de Outubro, de Segunda-feira a Sexta-feira das 14h00 às 21h00 na AgarArte Cooperativa Gaivotas 17, Lisboa).

 
 

 CARLA PESSOA

carlaDesde sempre fascinada pelo mundo das artes, frequenta o secundário na área das artes plásticas e a seguir o Curso Superior de Design de Comunicação e Artes Gráficas do Instituto Superior de Design de Comunicação. Sempre com grande interesse na área da ilustração infantil, frequenta o Curso de Ilustração do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, o Workshop de ilustração infantil e banda desenhada do AR.CO e mais recentemente a Oficina de ilustração infantil no CIEAM. Em paralelo com o design dedica-se ao arts and crafts, criando e concebendo toda uma linha de objectos de autor feitos à mão, desde bonecos, bijutaria, acessórios e ilustrações. Em 2014 começa a seu percurso na área da Cerâmica e assim vê um novo mundo surgir. Tira vários cursos no CENCAL (Caldas da Rainha) e aprende durante algum tempo no Atelier de João Gomes em Sintra.

Participa com as suas ilustrações que desenvolvem em elementos geométricos e com peças de cerâmica e de raku.

MANUEL FIGUEIREDO

Artista português licenciado em Escultura pela Faculdade de Belas Arte de Lisboa, começou a ter gosto pelo desenho desde muito novo pela influência da pintura do azulejo tradicional português do seu pai, donde deriva o seu apreço por padrões e pelo figurativo. A escolha do curso teve como principal base a vontade de experimentar e descobrir o desenho bidimensional. Os seus trabalhos têm, quase sempre, um misto de representação anatómica humana e alienação da mesma. Muitos dos produtos finais se tornam mórbidos ou monstruosos. Gosta de criar personagens e dar vida e história aos seus desenhos.

Participa com os seus desenhos criados especialmente para a exposição FRESH EXPO.

SÍLVIA LUZ 

silvia luzArtista português autodidacta, gosta de estudar as imagens e decompô-las para construir novos significados e por um valor político-social. Usa uma linguagem muito pessoal que leva o público a uma reflexão mais profunda que vai além do sentido estético. Descompõe as imagens que outros criam e as une com fotografias realizadas por ela para gerar colagens com ilustrações e palavras.

Participa com uma selecção das suas colagens, que nascem através da elaboração de figuras, paisagens e elementos gráficos para apresentar a sua visão do mundo com uma ponta de ironia.

LORENZO DEGL'INNOCENTI

loreNasceu em Florença e mudou-se para Lisboa em 2001, onde ainda hoje reside.Divide-se entre o mundo das ilustrações e das animações e estuda no AR.CO e na Fundação Calouste Gulbenkian.A seguir trabalha em vários projectos com a técnica de “Animação tradicional” enquanto ensina a técnica da Animação Stopmotion na Academia das Belas Artes, técnica que revelará a sua expressão artística primária. sem deixar a paixão pelo desenho à mão livre, simultaneamente fortalece a sua criatividade em varias formas e desenvolve outras competências artísticas na área da escultura,da curta-metragem de animação, de vídeos musicais, publicitários e pintura.

Participa com o seu novo projecto de escultura apresentando personagens imaginárias, criadas com massa para modelar, betume, ferro e madeira. As figuras têm um estilo que evoca as animações, às vezes com um carácter monstruoso, às vezes com uma linha mais onírica, que levam a imaginação do visitador num mundo fantástico através de formas e cores dinâmicas.

NAOHIRO “KOZNEUF”

naoFotógrafo japonês, depois de se ter mudado para Portugal em 2012 onde encontra o equilíbrio interior, começa o estudo da fotografia. A sua formação académica é em Engenharia da Comunicação e em. Moda, mas a sua grande paixão é a Fotografia. Autodidacta, as suas competências artísticas estão em constante evolução e a sua pesquisa desenvolve-se em diferentes temáticas, especialmente fotografia urbana e de retrato.

Participa com uma selecção de fotografias urbanas que apresentam a cidade de Lisboa na  ariedade das suas nuances. Estas imagens mostram a atmosfera especial deste lugar através de novas perspectivas capturadas pelo seu olhar atento. As fotografias englobam toda a beleza desta cidade mágica e deslumbrante e revelam o encanto que se encontra na antiguidade das ruas, na luz do dia ou na escuridão da noite.

 

VANESSA TAVARES 

vanessaVanessa Tavares mais conhecida artisticamente por Psyca, é uma artista portuguesa e autodidacta, pintora a tempo inteiro desde 2012. As suas técnicas mais utilizadas são: explosões de cor e luz em aguarela e acrílico ou drip painting em branco e preto, utilizando tintas de água sobre cartão ou tela. Como temas utiliza as expressões faciais e natureza para criar uma mistura de emoções e fantasia.

Participa com uma selecção dos seus trabalhos de drip painting em preto e branco com figuras de animais e de criaturas imaginarias desenhadas pelas linhas intersectadas e pela cor incorporada das tintas entornadas, às vezes animadas pelas cores fortes.

 
 

Primeira exposição coletiva Agararte

Evento di apertura_1200x436

O laboratório itenerante de alguns artistas e artesãos encontra agora uma sede no AgarArte: oficina criativa, na qual, pela livre escolha dos fundadores, arte e artesanato convivem para assim ultrapassar as linhas que os separa.....O fim é cooperar e evoluir através do trabalho lado a lado. A apresentação conjunta reune fotógrafos profissionais e amadores, artistas e criativos, artesãos e ilustradores.

A mostra de fotografia contará com a presença de Orkeye, Fotojonic, Joana Bom e Marta Guerreiro. Dentro das artes plásticas estarão presentes os trabalhos de Alessandra Tassone, Tânia Simões, Rafael Lemas e Taliane Tomita. Estarão expostos os trabalhos dos artesãos Carlos Subtil, costureiro criativo autor de uma costura eco-funcional; Serena Tassone, com a sua criação de malas realizadas com recurso a câmaras de ar de pneus, propondo uma alternativa relativamente às do mercado da Moda.

 
 

ALESSANDRA TASSONE

0tablaUma estrada em direção à reconquista dos espaços abandonados à degradação, e o reencontro do Homem com as suas necessidades primárias. O seu laboratório itinerante é feito de instrumentos ligeiros, portáteis e de suportes reciclados. Com retalhos de partes de imagens, depois utilizados de formas variadas, se dá vida a colagens de visões realistas e decorativas personalizadas.

JOÃO FOTOJONIC

joao fotojonic“Experimentalista apaixonado pelo fundo negro e o seu contraste com a pele e
pela descoberta de pequenos aspectos na rotina do dia a dia que ganham expressão na forma de uma fotografia."

RAFAEL LEMAS

rafael lemasIniciou no campo das artes através da música e do graffiti. Logo começou a expor e ministrar oficinas de artes. Agora, no final de seu intercâmbio na Faculdade de Belas Artes de Lisboa, se prepara para voltar à ilha de Santa Catarina (Brasil) para concluir seu curso de Licenciatura em Artes Visuais. “Aprendi a desenhar com o dedo na areia da praia, observando as nuvens ou as manchas das paredes. O cotidiano, as coisas simples da vida e a natureza cercam e conduzem meus traços.”

SERENDIPITY 

Eco malas realizadas exclusivamente a mão utilizando camera de ar de pneus, dando asìm uma nova vida a um material que ia morer no lixo.

JOANA BOM

joana bom"Dedica-se à fotografia, de forma autodidata, desde Outubro de 2014. Tem como principais interesses o fotojornalismo, fotografia documental e a reportagem fotográfica. Entende a fotografia como um instrumento que deve ser colocado ao serviço da sociedade, contribuindo para a exposição e denúncia das problemáticas sociais. Desenvolve também um conceito em torno do Nu Artístico, que visa ir além da beleza natural dos corpos, desmistificando questões do foro sexual, nomeadamente em torno da libertação e emancipação da mulher”.

MARTA GUERREIRO

marta guerreiroEntre margens
Na singularidade de um trajecto rico em lugares comuns, vislumbramos as vivências ocasionais de quem está, na busca da identidade dessa e nessa travessia; o particular, o colectivo, o Tejo, tudo aquilo que nos escapa, mas que de forma singular fica retido na película, de quem procura esses momentos únicos, que são uma viagem entre margens."

RAFFAELA GHIARRU

O desenho automatico è um tic que ajuda a concentração nos momento de stress. O incosciente, corrigido da razão, produz formas e historias desconhecidas apenas porque são projectadas no futuro. Os desenhos aleatórios de um par de anos completam-se numa colagem que intitulei “Guernica Sentimental” estes por terem sido realizados durante o trabalho, representam a rebelião da mente ao bombardamento desumano, anti-natural de muitas situações de trabalho como aquela do call-center."

TÂNIA SIMÔES 

Projecto Reabuse
No âmbito de um projecto de que é fundadora, o Reabuse, em que a reutilização criativa de materiais é rainha, concebe peças de artesanato e realiza oficinas de carácter educacional.